Páginas

sábado, 14 de agosto de 2010

Exercício Físico e Bem Estar Psicológico

Nos dias atuais são inúmeras as pessoas que sofrem de algum transtorno de ansiedade ou de humor.

A vida moderna, todos os avanços tecnológicos que vivenciamos nos últimos tempos, desde, por exemplo, o advento do automóvel até a internet transformaram consideravelmente nossas vidas. É inegável que poder sair de um ponto a outro de carro no lugar de montado a cavalo, como faziam nossos antepassados, é muito mais confortável. Mas, também é inquestionável que o trânsito nos grandes centros urbanos é um grande fator de estresse.

Vejamos o exemplo da própria internet. Por um lado é maravilhoso estar conectado em rede mundial, viver num mundo globalizado, acompanhar notícias em tempo real e desfrutar de todos os benefícios trazidos pela rede, como, por exemplo, escrever um blog. Por outro lado todos nós sabemos da preocupação que a internet gera nos pais de família, por exemplo.

A Organização Mundial de Saúde, nos traz que o índice de pessoas que sofrem de transtornos de ansiedade e depressão nos grandes centros urbanos é muito maior do que o das pessoas que vivem em pequenas cidades. Isso porque aliado a todo o aparato tecnológico, existem as preocupações da vida moderna que abrangem não só trânsito, mas também a violência urbana, o desemprego, dentre outros tantos fatores.

Assim, diante desse cenário, nós percebemos as manifestações dos mais diversos transtornos ansiosos. São os ataques de pânico, as fobias específicas e sociais, o TOC, o estresse agudo e pós-traumático, a ansiedade generalizada, para citar alguns. Bem como os quadros de depressão. É importante colocar aqui que a ansiedade e a depressão, embora apareçam muito em conjunto, elas possuem uma característica diferente. A depressão é sempre patológica. Já a ansiedade não. A ansiedade ao contrário da depressão é um espectro normal da vida do ser humano. É a ansiedade, por exemplo, que nos alerta contra os perigos para que possamos nos proteger e garantir nossa segurança. Mas, quando ultrapassa certos níveis, quando se torna desproporcional ao foco gerador, aí sim a ansiedade torna-se patológica e é um dos sinais mais evidentes de sofrimento humano.

O tratamento, tanto da ansiedade quanto da depressão, é feito de duas maneiras. Uma é o tratamento psicoterápico, que é realizado por um psicólogo. Mas, em algumas situações, há a necessidade de aliar a psicoterapia ao tratamento medicamentoso. Esse tratamento é feito por um médico psiquiatra, que trabalha em conjunto com o psicólogo.

O interessante, e é sobre isso queremos falar hoje, é que atualmente já existem estudos que provam que a prática regular e coordenada de exercícios físicos pode ser eficaz no auxílio do tratamento da depressão e da ansiedade. Não significa que apenas praticando exercícios o sujeito vai ficar livre da depressão ou de algum transtorno de ansiedade, seja pânico, estresse pós-traumático, ou qualquer outro. Mas, a prática de exercício físico vem se tornar um terceiro elemento terapêutico, ao lado da psicoterapia e da medicação. Vale ressaltar que os resultados alcançados pelos pesquisadores que se dedicaram a esse estudo foram muito positivos.

Nós sabemos que a depressão é um transtorno do humor. Então se a prática de exercícios físicos é eficaz no tratamento da depressão, também podemos concluir que a prática de exercícios físicos atua sobre o estado de humor do sujeito.

Mas, o que é humor? Humor pode ser definido como um estado de ânimo variável. Por exemplo, sentimentos de felicidade ou de tristeza que sejam passageiros são exemplos de humor. O humor normal flutua, oscila entre alegria, tristeza e irritabilidade, por exemplo.

Pesquisadores comprovaram que a prática de exercícios físicos pode alterar estados de humor. Por exemplo, pode diminuir o desânimo, a raiva, bem como aumentar disposição e a energia, tudo isso conferindo maior sensação de bem estar.

Nós vimos até agora, que a prática de exercícios físicos surte efeitos positivos, gerando bem estar psicológico. Vimos que, ao lado do tratamento psicoterápico e farmacológico, o exercício físico contribui para o tratamento das depressões e das ansiedades. Vimos ainda que o exercício físico atua sobre o estado de humor do sujeito, aumentando sua disposição, sua energia e diminuindo sua raiva ou seu mau humor.

Agora, por que será que o exercício físico promove todo esse bem estar psicológico? Segundo Weinberg & Gould (2001), Existem explicações fisiológicas e psicológicas.

As fisiológicas são:

Aumento no fluxo sanguíneo cerebral;
Mudanças nos neurotransmissores cerebrais;
Aumento no consumo máximo de oxigênio e liberação de oxigênio para os tecidos cerebrais;
Reduções na tensão muscular;
Mudanças estruturais no cérebro.

As psicológicas são:

Dar “um tempo” ou esquecer de problemas cotidianos;
Sensação de controle aumentada;
Sentimentos de competência e auto-eficácia;
Interações sociais positivas;
Melhora no auto conceito e na auto-estima.

Diante do exposto, podemos concluir que a prática regular e orientada de exercícios físicos traz benefícios de ordem psicológica ao ser humano, bem como se configura num plus no tratamento de transtornos de humor ou de ansiedade.

E você? Já se exercitou hoje?


KARINA ALECRIM BESSA

2 comentários:

Rafaela disse...

Muito bom o texto! Hora de comprar um tênis novo...rs! bjs

Téia Olazar disse...

Na verdade Karina, trabalhei com bioenergética e Reich. Penso que o corpo é tudo, fala tudo, traduz tudo... tem um site muito legal que posso te indicar se vc quiser, tem vários temas interessantes.
Parabéns pelo blog e pela iniciativa.
Bjs
Maristela (Téia Olazar)